Decisão de investimento da CalPERS gera avalanche de opiniões no Twitter

16/9/2014

Gestão de Recursos/N@ Web / 16 de setembro de 2014
Por 


O fundo de pensão dos funcionários públicos da Califórnia é o maior investidor institucional do mundo. São US$ 300 bilhões em ativos sob gestão, mais que o PIB de 155 países (de 191 considerados pelo Banco Mundial), entre os quais Chile, Portugal, Peru, Cingapura, Nova Zelândia e Israel. Quando um colosso desses toma uma decisão de investimentos, a reação nas redes sociais é volumosa, mesmo que mercado de capitais e gestão de recursos constituam assunto bem menos popular que os mais “bombados” da internet, como celebridades e animais fofos. Pois o CalPERS anunciou ontem, inclusive em sua própria conta do Twitter, que estava retirando todos os US$ 4 bilhões investidos em fundos de hedge. A intenção é reduzir a complexidade e os custos do portfólio do fundo, embora alguns analistas acreditem que o motivo tenha sido a baixa performance média desses veículos em relação a outras modalidades.

  Tradução: O CalPERS encerra seu programa de hedge funds, num esforço para reduzir a complexidade e os custos de seu portfólio de investimentos

Foram 28 compartilhamentos. Parece pouco, comparado aos 3 mil que uma foto do porquinho de estimação da cantora Miley Cyrus consegue em pouco tempo, mas, para uma instituição de previdência, é uma quantidade considerável. Imagine quantos retuítes a Previ ou o Petros teriam em situação semelhante? As duas maiores fundações do Brasil sequer têm uma conta no Twitter. E a publicação da CalPERS foi apenas uma entre várias. Veículos de mídia, cotistas e opinadores estão espalhando a notícia e dando seus pitacos sobre o motivo que teria levado o fundo a terminar um ciclo de investimentos iniciado em 2002.

Tradução: Essa decisão do CalPERS acaba com duas eras/fenômenos dos fundos de hedge de uma vez só! Adeus, gestores medíocres. Adeus, acumuladores de recursos esparsos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Twitter CAPITAL ABERTO mercado de capitais hedge funds Calpers Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Ativismo: brigar com a companhia pode sair caro para todo mundo
Próxima matéria
MPF acusa Eike de fraude e bloqueia R$ 1,5 bilhão em bens do empresário



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Ativismo: brigar com a companhia pode sair caro para todo mundo
Um levantamento da consultoria Activist Insight revelou que as batalhas com investidores ativistas em 2014 custaram, em média,...