Buraco sem fundo

Gestão de Recursos/Seletas/Edição 130 / 1 de junho de 2014
Por 


Nunca foi tão grande o déficit dos fundos de pensão. De acordo com a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), o rombo em 2013 foi de R$ 22 bilhões, contra R$ 9 bilhões no ano anterior. O resultado pode levar diversas entidades a aumentarem as contribuições, tanto por parte da companhia patrocinadora quanto dos participantes. A Petros, dos funcionários da Petrobras, amargou prejuízo de R$ 2,8 bilhões. A Previ, maior fundo de pensão do País, com patrimônio de R$ 170 bilhões, não registrou saldo negativo em 2013, mas sua rentabilidade ficou abaixo da meta atuarial. No ano passado, os investimentos da fundação valorizaram-se 7,19%, enquanto a meta era de 10,84%.

Ilustração: Beto Nejme /Grau 180.com


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CAPITAL ABERTO mercado de capitais Fundos de pensão Previc déficit Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
A um ano do fim
Próxima matéria
Recompensa escondida



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
A um ano do fim
No mês passado, a CVM suspendeu o registro de companhia aberta da Agrenco Limited. Há mais de 12 meses, a empresa não...