Estrangeiros poderão investir mais na China

No mês de abril, a China deu mais uma prova de que está disposta a afrouxar seus mecanismos de controle de capital. A comissão de valores mobiliários do país, a China Securities Regulatory Commission (CSRC), quase dobrou o valor global que os gestores de fundos internacionais podem direcionar a …



No mês de abril, a China deu mais uma prova de que está disposta a afrouxar seus mecanismos de controle de capital. A comissão de valores mobiliários do país, a China Securities Regulatory Commission (CSRC), quase dobrou o valor global que os gestores de fundos internacionais podem direcionar a compra de ações, bônus e certificados de depósitos bancários do país.

O montante passou de R$ 50 bilhões para US$ 80 bilhões. Para poder investir no mercado de capitais chinês, os investidores institucionais estrangeiros precisam ser aceitos no programa qualified foreign institutional investor (QFII), criado pelo regulador em 2003. Até 16 de abril, 158 gestoras de 23 países participavam da iniciativa, dentre elas Citigroup Global Markets, Barclays Bank, BNP Paribas, Mirae Asset Global Investments e BNY Mellon Asset Management International. Na lista, não há nenhuma brasileira.

Com o aumento do valor autorizado para investimento, mais gestoras estrangeiras devem passar a integrar o QFII. Cada uma delas recebe uma cota para investir. O avanço no número de investidores institucionais é visto como positivo para as bolsas chinesas, hoje bastante voláteis devido à especulação das pessoas físicas. Também ajudará a promover uma maior sofisticação e profissionalização do mercado de capitais chinês.

A CSRC faz uma análise caso a caso para distribuir as cotas. Muitos participantes reclamam, contudo, que o processo é opaco e imprevisível. Apenas instituições com pelo menos cinco anos de experiência em gestão de ativos e US$ 5 bilhões de patrimônio sob sua guarda são elegíveis ao QFII, embora haja rumores de que esses critérios possam ser flexibilizados. Desde o fim do ano passado, quando Guo Shuqing se tornou chairman da CSRC, a concessão de cotas foi acelerada. Em março de 2012, cerca de 15 instituições estrangeiras receberam autorização para investir juntas US$ 2,1 bilhões no país, em comparação ao US$ 1,9 bilhão concedido em todo o ano de 2011.


Quer continuar lendo? hoje

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Quero me cadastrar!

Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui > 2

teste

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  mercado internacional bolsa de valores investimentos Ásia Guia de Captações de Recursos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Mercado busca incentivos para ofertas de pequenas e médias
Próxima matéria
CVM permite quórum reduzido em assembleia para incorporação da PortX



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Mercado busca incentivos para ofertas de pequenas e médias
O Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec) trabalha na elaboração de um plano de ação que poderá favorecer...