Seletas   |   N@ Web   |   Edição 57

Nem tão pessimista: “homem de negócios” de Trump falará mais alto, diz Mobius

Considerado um guru dos mercados emergentes, Mark Mobius, gestor de recursos da Franklin Templeton, engrossou o time dos que não se mostram tão pessimistas quando o assunto é a eleição de Donald Trump. Em seu LinkedIn, Mobius publicou um texto em que afirma não estar surpreso com a vitória do …



Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

Considerado um guru dos mercados emergentes, Mark Mobius, gestor de recursos da Franklin Templeton, engrossou o time dos que não se mostram tão pessimistas quando o assunto é a eleição de Donald Trump. Em seu LinkedIn, Mobius publicou um texto em que afirma não estar surpreso com a vitória do controverso candidato republicano; segundo ele, as pesquisas é que falharam em captar a insatisfação dos americanos de áreas empobrecidas.

A crença do gestor é que o lado “homem de negócios” de Trump falará mais alto, e que ele acabará não tomando medidas radicais relacionadas, por exemplo, à importação de produtos fabricados por países emergentes. A tendência, avalia Mobius, é de que o novo presidente busque firmar acordos bilaterais com outras nações — entre elas, a Rússia — em vez de fechar acordos multilaterais. Nos comentários sobre o texto, o tom não é esperançoso: a maioria dos leitores aposta em aumento da inflação por causa do bloqueio a produtos chineses.


Quer continuar lendo? hoje

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Quero me cadastrar!

Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui > 2

teste

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  gestão de recursos Mark Mobius n@ web Donald Trump Trump eleições americanas Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Investimentos de longo prazo em educação corporativa resistem à crise
Próxima matéria
Empresas veem decisão da CVM sobre voto de Eike Batista como regra nova



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Investimentos de longo prazo em educação corporativa resistem à crise
Apesar de o cenário econômico desafiador levar as empresas a repensar seus investimentos de curto prazo, é crescente...