Companhias sustentáveis

O papel dos conselheiros de administração na adoção dos pilares ambiental, social e econômico

Customizados
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


apoio-diligent-600x100

Num momento em que o planeta dá sinais claros de que o ritmo de consumo atual é insustentável, torna-se cada vez mais necessário as companhias buscarem um equilibro entre os pilares ambiental, social e econômico. Órgão responsável por direcionar a estratégia dos negócios no longo prazo, o conselho de administração tem um papel preponderante em garantir esse balanceamento. Além de promover a inclusão social – com respeito à diversidade cultural e aos interesses dos públicos envolvidos no negócio direta ou indiretamente -, as práticas sustentáveis podem contribuir para a redução ou otimização do uso de recursos naturais.

Infelizmente, entretanto, a sustentabilidade empresarial não é um tema central em muitas companhias – e uma das razões é ele não estar na cabeça dos administradores voltados ao longo do prazo. Como mudar esse cenário? É dever dos conselheiros de administração fomentar práticas sustentáveis? Se a companhia se envolver em um desastre ambiental, os integrantes no board podem ser responsabilizados? Qual envolvimento os investidores esperam do conselho na elaboração de responsabilidade socioambiental?

Clique aqui e leia a reportagem Sustentabilidade ainda não é real nos conselhos de administração, gerada a partir do encontro.

Assista ao vídeo com os melhores momentos do Grupo de Discussão.

Ficou curioso? Ouça a íntegra do evento no Clube de Conhecimento!

 

Fotos: Régis Filho


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  conselho de administração Diligent Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
O que é ser um minoritário em sociedades sem acionista controlador?
Próxima matéria
A atividade de RI e os indicadores ESG



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
O que é ser um minoritário em sociedades sem acionista controlador?
Dois casos têm provocado reflexões sobre o que é um acionista minoritário: o primeiro, e já bastante discutido,...